Cristo esquartejado

janeiro 6, 2021

Faço minhas as palavras do Erick:

Isso vale para a comunista @ManuelaDavila, para a fanática @elbaramalho e para o pastor @ZeBarbosaJr_ (esse que está vendendo curso para ensinar que o Pai Nosso tem algo a ver com o socialismo). Sim, o pastor está VENDENDO um curso sobre isso. Se estivesse inspirado no verdadeiro Evangelho, ofereceria de graça o que de graça recebeu do Cristo. Já a Manuela, finge não saber que cristãos foram perseguidos e mortos em todo lugar onde o comunismo predominou. E a Elba, ridiculamente afirmando que o covid foi criação comunista para acabar com cristãos. Três exemplos de como pessoas se servem do nome de Jesus.

Dizer que é cristão até os demônios conseguem, e de fato muitos demônios têm feito isso ao longo dos anos. Vendendo prosperidade, manipulando, matando, mentindo e fingindo, tudo em nome de Jesus. Ser discípulo do Cristo é outra coisa. O discípulo segue o mestre, em vez de tentar maquiar e manipular suas palavras para que se encaixem na ideologia preferida. Apenas parem de esquartejar Jesus. Assumam que vocês trabalham pelas suas próprias ideologias políticas e isso nada tem a ver com o Reino de Deus e muito menos com Cristo. Estão usando Jesus como avalista de seus projetos políticos de poder. Seguir Jesus tem muito pouco a ver com achar um espaço onde encaixá-lo no meio de um monte de lixo ideológico.


Cristianismo em tempos de cólera

dezembro 22, 2020

Muitos se perguntam qual deve ser o posicionamento do seguidor de Jesus nesses tempos de polarização, cólera e radicalismos diversos. Longe de pretender guiar qualquer um, vou aqui colocar minha modesta opinião.

Penso que o cristão deve se manter independente, não defender cegamente nenhuma posição extremista ou partido. Em épocas como essas, se faz necessária a imparcialidade, a visão embasada na busca da verdade, a mesma verdade que Jesus afirmou libertar as pessoas. Imparcialidade para denunciar as manobras tanto de direita quanto de esquerda visando manipular corações e mentes. Jesus nunca tentou calar ninguém, jamais pregou que seus opositores não pudessem se manifestar. Muito pelo contrário, foi até as sinagogas e debateu abertamente com os fariseus, donos da verdade na época.

O cristão não deve ser favorável a nenhum movimento com objetivo de calar quem pensa diferente. Deve denunciar quem esconde o próprio autoritarismo em supostas lutas por direitos, justiça e etc. Jesus nunca foi autoritário nem se comportou como autoritário. Jamais pregou métodos de força para alcançar o objetivo do Reino de Deus. Deixou claro que tal Reino não era deste mundo nem seria encontrado usando métodos humanos de manipulação, ideologias políticas ou qualquer coisa do tipo. Seria contrário inclusive aos métodos usados em muitas igrejas e partidos, de brincar com as emoções das pessoas para angariar adeptos. Mexer com o emocional é uma forma de impedir pessoas de usarem o raciocínio.

Jesus também não chancelaria o linchamento virtual, a tal cultura do cancelamento ou o tribunal da Internet. São novas formas de apedrejamento criadas na era digital. O farisaísmo continua vivo e está muito presente nas redes sociais onde solta seus demônios. Muitos se comportam como gado, como turba, apenas seguem a onda da milícia digital sem nenhuma reflexão. Jesus foi crucificado a pedido exatamente desse tipo de pessoa, a turba irracional. Se envolver em milícias digitais e em tribunais de rede social não é comportamento aceitável de um cristão, de quem se espera mansidão, bondade, paciência, domínio próprio, amor ao próximo. O cristão deve ser o portador da luz em qualquer discussão, ser o pacificador, para todos perceberem estar diante de um discípulo do Cristo e não de um demônio disfarçado de membro de Igreja. Simples assim.


A bolha fundamentalista

agosto 28, 2020

A bolha fundamentalista da qual fazem parte muitos que se dizem cristãos do Brasil é assim: todos dentro desta bolha fingem que são santos e todos dentro da bolha fingem acreditar mutuamente na santidade uns dos outros. Quando a sujeira embaixo do tapete se torna uma montanha de merda impossível de esconder, eles logo dizem: “fulano nos enganou”, como fez a ministra Damares Alves sobre a Flordelis.

Quem acompanha, mesmo de longe o submundo gospel, sabe como é. Isso já aconteceu antes e continuará acontecendo. Quando um dos que eram considerados santos cai em desgraça, logo os demais tentam se descolar dele como se nada tivessem com aquilo. E contam com a falta de memória das ovelhas incautas, para continuar com seu teatrinho. Muitas vezes a amnésia é fingida, todos sabem mas ninguém mais fala no assunto.

Não, Damares. Você não foi enganada como diz, pois é escolha de todos na sua bolha esta idolatria mútua. Vocês escolhem este fingimento e o culto das aparências enquanto escondem a sujeira interior. Escolhem caiar o sepulcro e manter toda a imundície lá dentro, intocada, enquanto fingem santidade. Jesus já falou sobre vocês e só pessoas mantidas na ignorância e sem nada saber do evangelho, acreditam nessa conversa.

Parem de fingir, parem de mentir. Ou façam como sempre e apliquem uma nova demão de cal no sepulcro, enquanto esperam o escândalo de mais uma celebridade gospel caída em desgraça, passar. Quando uma celebridade da bolha cai, aparece outra no lugar, uma outra história mirabolante qualquer, e as ovelhas seguem como se nada tivessem aprendido ou percebido.

O evangelho os descreve com todas as letras. Vocês escolhem mentir uns aos outros, mas não conseguem enganar a todos. Prosseguem nessa ciranda de auto engano mútuo, quando na verdade estão dançando sobre as brasas do inferno. E quem brinca com fogo, sempre acaba se queimando.


Flordelis ou Flordomal?

agosto 26, 2020

Os dois vídeos do Caio Fábio resumem toda a história da Flordelis e sua indústria de adoções terminada em tragédia.

Não era um lar e muito menos uma família, e sim uma casa de horrores. E deve ter muito mais sujeira embaixo desse tapete.


Epidemia de mau caratismo

junho 7, 2020

A epidemia do novo coronavírus fez ficar evidente o quanto alguns líderes que se dizem cristãos estão longe de serem seguidores de Jesus. Vimos a vergonhosa aparição de diversos líderes evangélicos (vendedores de prosperidade) emitindo falsas profecias em torno do presidente Jair Bolsonaro, um notório apoiador de ditadura militar e de torturadores. E em seguida, pessoas ligadas a canais de tv católicos, pedindo dinheiro público para fazer propaganda positiva do governo deste mesmo presidente.

A verdadeira igreja está lutando contra a epidemia em várias frentes, enquanto os falsos profetas de sempre pensam apenas em dinheiro e lucro pessoal.

Quer dizer então que em troca de dinheiro do governo, tais canais estão dispostos a se calar e se fazer de cegos? Não resta vergonha na cara e caráter algum para essas pessoas? Algum dia tiveram caráter ou vergonha na cara? Creio que não. A epidemia está fazendo várias máscaras caírem e vários lobos estão perdendo seus disfarces. É escolha sua continuar seguindo estes falsos cristãos, vendedores de indulgências modernos, lobos fantasiados de pregadores.