Sobre os protestos

Protestar é um direito, em muitos casos um dever. As pessoas precisam deixar claro quando sentem que seus direitos foram violados, que foram prejudicadas ou estão sendo desrespeitadas por quem devia representá-las (no caso, os políticos em todos os níveis, os encarregados de administrar verbas e patrimônio público e etc). Acho que isso demorou muito para acontecer, inclusive. No caso do dinheiro que está sendo desperdiçado para a realização da copa do mundo, creio que as pessoas deviam ter se manifestado anos atrás, quando começou a conversa de fazer copa do mundo no Brasil, e não só agora, que muitos milhões de reais já foram desembolsados. Uma pergunta que deveriam fazer ao governo: Onde está a prestação de contas com relação aos gastos com a copa do Mundo? Em qualquer empresa, os sócios ou acionistas, ou investidores, exigem saber o que está sendo feito com o dinheiro que investiram na empresa. Então, o governo devia prestar contas de todo esse dinheiro que arrecada em impostos a todos nós, que somos os investidores, os que pagam a conta no final, não acham? Com tanto dinheiro arrecadado, devíamos ter escolas, transporte e saúde públicos em nível de primeiro mundo.  Nós passamos praticamente meio ano trabalhando, para pagar impostos. E a contrapartida, onde está? Em nenhuma empresa privada que se preze, uma diretoria financeira que não faz bom uso do dinheiro, permaneceria no cargo. Seriam todos demitidos e quem sabe, processados e obrigados a ressarcir a empresa para a qual causaram prejuízos. E com os administradores do dinheiro público, o que vemos acontecer? Nada. Quando muito, as roubalheiras com dinheiro público rendem alguns dias de manchetes nos jornais, e a maioria dos envolvidos nem sequer é presa, quanto mais obrigada a reparar os prejuízos. Muitos processos acabam arquivados, e nunca mais se ouve falar deles. Como se diz, tudo acaba em pizza, até o próximo escândalo. E não é de hoje que funciona assim.

Mas é lamentável quando pessoas mal intencionadas, desonestas e no meu entender, tão corruptas e sem caráter quanto certos políticos, que passam a vida envolvidos em maracutaias, usam um movimento legítimo para promover saques, destruir monumentos e obras que foram pagas, com o nosso dinheiro. E quem você acha que vai pagar a conta dos consertos? Eu, você, todos que pagam impostos. Você que vai em protestos, não para expressar sua opinião e seu direito de reclamar do que está errado, e sim, para exercer sua desonestidade e sua própria corrupção, promovendo saques e vandalismo, não é melhor do que os políticos corruptos. Vândalos e promotores de saques, não são em nada melhores moralmente, do que  políticos que desvirtuam licitações, desviam (saqueiam) dinheiro público ou recebem propinas e etc. São farinha do mesmo saco. Talvez uns se sintam representados pelos outros, afinal.

Atacam o patrimônio, talvez, como forma de atingir os causadores da indignação, os quais ficam escondidos dentro dos edifícios públicos, protegidos por soldados armados, grades, portas pesadas, e qualquer coisa, fogem de helicóptero ou veículos blindados. A polícia, usa spray de pimenta e gás lacrimogênio a torto e direito, para acalmar os ânimos. Mas você já viu alguém ficar mais calmo depois de receber um jato de pimenta no rosto, ou ser alvo de uma nuvem de gás lacrimogênio? Eu não, por isso não entendo se o objetivo é dispersar, ou deixar as pessoas mais irritadas ainda.

Acabar com partidos? É como um marido traído colocar fogo no sofá onde a esposa o traiu. Não resolve nada. O problema não são os partidos, são as pessoas. Pessoas sem caráter, desonestas, sem valores, sem vergonha na cara, que geralmente entram na política, por causa de dinheiro e não por conta de ideais, não por vontade de construir um país melhor, e sim para garantir um “pé de meia” e quem sabe, uma aposentadoria bem polpuda. Por isso tem tanto “ex” alguma coisa, que como última opção, se filia a um partido qualquer e sai candidato, sem ter noção nenhuma do que seja Estado, legislação, administração de recursos públicos. Pessoas famosas, mas despreparadas, manipuláveis, e com milhares de eleitores prontos para votar nelas, apenas por serem famosas. Por isso que tem também pastor que vira político, muitos pensando não só no dinheiro, mas também em formas de usar o cargo para beneficiar sua denominação. Levar honestidade e integridade para a política? Isso nem passa pela cabeça desse pessoal. O que podemos esperar de bom, de pessoas que se filiam a partidos e montam chapas eleitorais, com objetivos como esses na cabeça? Há exceções? Há. Mas as exceções muito pouco podem fazer, num meio onde a corrupção parece que se tornou regra.

E onde está a novidade? Não há nada de novo sob o sol. Espero que essa onda de protestos, não acabe como tudo costuma acabar por aqui: o governo toma algumas medidas superficiais para acalmar a população, a população engole, e tudo termina em pizza.

“Um país se faz com homens e livros”, escreveu certa vez, Monteiro Lobato. Nesse caso, aparentemente estamos perdidos. :P

Uma resposta para Sobre os protestos

  1. paulo disse:

    paz a todos…….
    tenho uma noticia a todos os que lerem esse post, todos os evangelicos e igreja que estao envolvidos com politicagem estao caidos, basta pesquisar a biblia onde nos evangelhos podemos ver que quem crucificou Jesus foram os politicos e os conhecedore da lei de DEUS…….

    abraços, servo de JESUS, irmao paulo

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: