O fim do mundo versão 2011

Um sujeito, norte-americano, chamado Harold Camping, de 89 anos (só podia ser dos Estados Unidos, o celeiro mundial de bizarrices evangélicas), decidiu que amanhã, dia 21 de maio de 2011, os crentes serão arrebatados, e quem ficar, sofrerá todos os tipos de desastres por aqui, até 21 de outubro, quando será o fim oficial do mundo, e de tudo que nele há.

Detalhe, que esse mesmo sujeito já tinha marcado uma data anterior, onde nada aconteceu, em 1994.

Pra mim, essa ansiedade em marcar a data e ficar esperando por um fim do mundo, que resolverá tudo com a destruição do planeta, é como se essas pessoas estivessem dizendo: “Nós não sabemos como resolver os problemas que criamos neste mundo, portanto, a única solução que enxergamos, é que ele desapareça por si mesmo. E claro que nós, crentes, vamos para um lugar melhor, e todos os que não são como nós, vão continuar aqui sofrendo mais um tempinho, porque afinal, eles merecem, né? Nós não nos importamos com o sofrimento de quem achamos que vai ficar, mesmo se forem nossos filhos, ou pais, ou amigos; só interessa que alguém nos tire dessa “zona” toda que nós mesmos causamos no planeta, e que nós admitimos ser totalmente incompetentes para solucionar, ou sequer remediar.”

Não é um tanto egoísta pensar assim, pensar que a única solução é desejar o fim do mundo, já que você, que pensa que por ter escolhido a religião certa, não vai ficar aqui para ver o circo pegando fogo?

Jesus não disse que, para aqueles que fossem seus discípulos, este mundo do jeito que é, já não existe? Porque seus discípulos não viveriam segundo a lógica do mundo como é, mas de acordo com a lógica do Reino de Deus? Ele não disse também que era necessário nascer de novo, para ser um cidadão do Reino, mudar a mentalidade, mudar as prioridades?

Esse “cristianismo” de massa tem sido incapaz de gerar pessoas com a consciência de que o Reino já chegou. Onde todos dizem que são cristãos, quase ninguém é discípulo trabalhando a serviço do Reino. São apenas pessoas que, por ter escolhido uma religião, se acham com aval de Deus para continuar mentindo, roubando, fraudando, adulterando, sendo corruptos, egoístas, consumistas, sem misericórdia, matando e destruindo, como antes. E reclamam porque o mundo está do jeito que está. Tem lógica?

Quero ver a ressaca dessas pessoas no domingo de manhã, quando amanhecer o dia, e elas descobrirem que era tudo ilusão. O arrebatamento não veio, e o mundo, continua o mesmo inferno que era na noite anterior, com pessoas cheias de ódio, matando umas às outras, como se fossem animais, enjaulados numa jaula apertada demais. Talvez haja pessoas que se suicidem, ao descobrir que a dura realidade é que vão ter que continuar por aqui. Quem será responsabilizado?

Camping disse que somente os bons cristãos serão arrebatados. Tem alguém aí que seja um “bom cristão”, pra começar a conversa?  Quem define o que é ser um “bom cristão”? Os que eu conheço estão só tentando ser cristãos.

Não precisamos esperar por algum evento catastrófico que trará um mundo melhor – o Reino de Deus já está no meio de nós, se tivermos olhos para ver. Podemos viver o Reino de Deus e encontrar significado vivendo os mandamentos de amor e paz.  Podemos encontrar alívio espiritual e psicológico, quando oferecemos orações de gratidão pelas bençãos da família, e pela beleza da ecologia deste mundo, que clama por redenção, e não por destruição. Podemos encontrar propósitos por meio da solidariedade com nossos irmãos e irmãs que estão sofrendo, e trabalhar para estender as bençãos de Deus para aqueles aos quais Jesus chamou “os pequenos dentre nós.” Paul Brandeis Raushenbush (texto completo no link abaixo)

Desiring the End of the World – Paul Brandeis Raushenbush – The Huffington Post

Uma resposta para O fim do mundo versão 2011

  1. Andrea disse:

    “De acordo com o MinistryWatch.com, que monitora as organizações cristãs na questão de transparência financeira, a Family Stations, Inc. ministério que Camping fundou, tem pouca transparência. Seus ativos totais em 2007 – o ano mais recente que a MinistryWatch teve acessoa as suas declarações financeiras – foi de US$152 milhões. Contribuições em 2007 totalizaram US$ 16 milhões. No período entre 2003 e 2006, a organização recebeu cerca de US $ 13 milhões a US$15 milhões em contribuições cada um desses anos.

    Arquivos do Serviço de Imposto de Renda americano, indicam que em 2009 as contribuições passaram de US$ 18 milhões. Ou seja, quanto mais perto do “fim”, mais o ministério arrecadou. Desde ontem o site da radio está fora do ar, mas as transmissões nas estações continuam normalmente, mas apenas com música cristã e programas gravados. Não há uma manifestação oficial sobre a questão. Em 1994, o mesmo Camping havia previsto o final do mundo e depois teve de refazer as “contas”. Desta vez, ele afirmou não haver possibilidade de erro.”

    Fonte: Pavablog

    O falso profeta sumiu, e os que acreditaram nele, ficaram com cara de bobos, e muitos, sem nada, sem dinheiro, sem emprego e de mal com suas famílias. Será que vão aprender? E o povo continua padecendo por falta de conhecimento. Nada de novo…

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: