Guerra?

Não, eu não estou em guerra com ninguém. Ou tento não estar.

Mas não acho lícito quando líderes cristãos apelam para a tentativa de deixar pessoas com medo irracional. “Corram, os islâmicos estão chegando!”  É preciso ser desonesto ou parcial, para tentar vender a ideia de que essa minoria islâmica radical, que se entrega ao terrorismo, representa todos os islâmicos. Conheço islâmicos que moram no Brasil há muito tempo, e eles cuidam apenas das suas vidas. Não são terroristas, nem querem que o Brasil seja islâmico. Eles gostam da liberdade que encontram aqui. Alguns fugiram de países em guerra, e vivem em paz aqui. Os islâmicos já estão entre nós faz muito tempo, para quem não sabe. Até onde sei, havia navegadores islâmicos na mesma caravela onde estava Pedro Álvares Cabral, e muitos escravos que foram trazidos para cá, eram islâmicos em sua origem. Extremistas existem em todas as religiões, e esses sim, devem ser repudiados, inclusive os cristãos e os ateus. Extremistas são daninhos, seja na religião, na política, ou nas torcidas de futebol. Sempre que encontro um desses, que insiste em deixar o mundo com uma cor só, ou tocando num só tom, faço questão absoluta de atirar-lhe um balde de água fria (não literalmente, claro). Nenhuma ditadura é boa, nem mesmo uma que seja feita em nome de Deus.

E a melhor forma de combater extremistas como os islâmicos e os nazistas, é fazendo com que não tenham plateia. Quem é plateia e massa de manobra para esse tipo de gente? Quem está insatisfeito, se sente humilhado, prejudicado, tem medo de quem é diferente, vive em tensão social. Pessoas satisfeitas, que não estão se sentindo ameaçadas nem humilhadas, que vivem dignamente, e enxergam perspectivas, não caem na conversa de extremistas, que buscam bodes expiatórios para justificar os problemas e o caos social. Não esqueçam de Hitler, porque tem muita gente por aí querendo que ele ressuscite, criando bodes expiatórios nos quais descarregar todo o seu ódio. Isso é extremamente preocupante. Já sabemos como esse filme acaba, não é? Será que alguém está interessado numa reprise? Eu não.

Nenhuma pregação de ódio e intolerância deve ser aceitável por pessoas que se dizem civilizadas. E isso inclui o extremismo de esquerda, o extremismo de direita, o terrorismo religioso e o terrorismo de Estado (por que ninguém fala nada contra o terrorismo de Estado?). Quando o discurso extremista é contra pobres, ou “esquerdistas”, minorias, estrangeiros, ou pessoas de outras religiões, até crentes são capazes de levantar a bandeira do extremismo. Conheço uma pá de cristãos que adora os discursos da extrema direita, ou aplaudem, ainda que escondidos. Vou contar uma novidade (novidade?) para vocês: Deus não é nem de direita nem de esquerda, não é terrorista nem nazista, nem socialista nem capitalista, não fundou nenhum partido político, não gosta de brancos mais do que ama negros e amarelos, azuis ou vermelhos, Ele NÃO FAZ acepção de pessoas, e está a favor dos que praticam a justiça dEle (que não é essa “justiça” humana, definida pelo poder de quem tem mais dinheiro, armas, maioria de votos no congresso, ou influência política). Quer ser racista, nazista, terrorista, elitista, fascista? Tudo bem, tem gosto pra tudo nesse mundo, mas deixe Deus fora disso, porque você sim está longe dEle. Não adianta falar como se estivesse falando por Ele, porque não está.

Não existe nação cristã, existem pessoas cristãs. Deus não trata com nações, trata com pessoas, uma por uma, coração por coração. Ele não vai chegar para você, para saber da conduta do seu vizinho islâmico, gay, adepto de candomblé, do espiritismo ou ateu, e sim, para saber da sua própria conduta.  Se você alimentou quem estava com fome, deu de beber a quem tinha sede, vestiu quem estava nu, se visitou quem estava preso, se parou na estrada para socorrer quem estava ferido. Lembra que quem fizesse qualquer uma dessas coisas, estaria fazendo-as ao próprio Jesus?

Já falei e repito: se falhamos no amor que vem do alto, não é por leis ou decretos, e muito menos fazendo guerra contra quem não compartilha da mesma fé, que conseguiremos qualquer coisa. Jesus deixou bem claro como seus discípulos deviam se conduzir. A beleza dEle tem que ser refletida naqueles que dizem que o seguem, do contrário, meus amigos, nada aproveitará. Ele não disse que isso era fácil.

Paz aqui na Terra? Você já estará no lucro se tiver paz consigo mesmo e procurar ter paz com as pessoas que estão à sua volta. Aqui na Terra, por enquanto, nós continuamos em guerra, porque somos humanos, e burros. Não aprendemos ainda que guerra gera mais guerra, que vingança gera vingança, que ódio alimenta ódio, intolerância gera intolerância. Aquela fórmula da “pax romana” não funciona (a paz que deveria vir depois da vitória na guerra).

Você que decide, se vai estar no time dos que jogam gasolina e lenha na fogueira, ou no time dos que correm com os extintores de incêndio nas mãos e reviram os escombros, buscando o Reino de Deus, que é justiça e paz.

Idealista? Talvez. Mas ainda não proibiram as pessoas de serem idealistas, né? Quando proibirem, eu vou continuar sendo, vou viver na contravenção.. :P

O ódio já ficou muito tempo na moda, já passou da hora dele sair de circulação…

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: