O santo e o soldado

“Santo é aquele que sabe que cada momento da nossa vida humana é um momento de crise; pois a cada momento somos chamados a tomar uma importantíssima decisão – escolher entre o caminho que leva à morte e à treva espiritual, e o que segue em direção à luz e à vida; entre os interesses temporais e a ordem eterna; entre a nossa vontade pessoal, ou a vontade de alguma projeção da nossa personalidade, e a vontade de Deus. A fim de se adaptar às emergências da própria vida, o santo é submetido a treinamento apropriado de corpo e mente, da mesma forma que um soldado. Mas a diferença é que os objetivos militares são limitados e muito simples. Servem para fazer homens corajosos, de cabeça fria e eficientes no ofício de matar os outros com os quais pessoalmente nunca brigaram, ao passo que os objetivos do treinamento espiritual são muito menos especializados. Aqui a finalidade é primariamente levar seres humanos a um estado no qual, por não mais existirem obstáculos para eclipsar a Deus entre eles e a realidade, podem estar continuamente conscientes da Base Divina em que repousam, bem como de todos os seres; secundariamente, como um meio para alcançar essa finalidade, para encontrar a todos, até na circunstância mais trivial da vida diária, sem malícia, ambição, auto-afirmação, ou voluntária ignorância, mas sempre com amor e compreensão. Tendo em vista que tais objetivos não são limitados, pois o amante de Deus a cada momento está num momento de crise, o treinamento espiritual é incomparavelmente mais difícil e penetrante que o treinamento militar. Há muitos bons soldados, e há poucos santos.”

Aldous Huxley

Você está sendo treinado para ser santo, ou para ser soldado?

O Cristianismo seria visto de forma totalmente diferente, se os cristãos, a partir do momento em que decidem ser seguidores de Jesus, começassem também seu treinamento para serem santos.

Anúncios

2 Responses to O santo e o soldado

  1. Roger disse:

    Oi Andrea,

    esta citação é belíssima. Huxley foi muito criticado por cristãos como Cherteston ou Schaeffer… não importa, só por essas palavras acima ele merece nosso respeito.

    Abraços,

    Roger

    • Andrea disse:

      Olá Roger,

      Criticado ou não, esse parágrafo de Aldous Huxley, merecia ser compartilhado aqui…

      Valeu pela visita! Abraços!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: