Unidade? Com quem?

É comum pessoas não gostarem, quando outras criticam coisas com as quais não concordam em determinadas denominações que se dizem cristãs. Fala-se muito em não julgar, não separar o joio do trigo e outras coisas mais.

Mas espera aí…

Pode haver unidade entre coisas que não são iguais?

Se você mistura água e óleo num copo, são duas substâncias diferentes, com naturezas diferentes. Elas podem até ficar juntas dentro do copo, mas nunca se dissolvem uma na outra. Você pode claramente distinguir entre uma e outra. Pode separar uma da outra, com muita facilidade.

Se você coloca mais água num copo que já tem água, é tudo água, você não vai mais conseguir separar a água que já estava no copo, da água que foi colocada depois. Se a água que estava no copo estava mais limpa que a água que foi adicionada, a sujeira se dissolve e toda a água fica igualmente suja. Você pode separar a sujeira da água, e pode separar o óleo da água, mas não pode separar água de água.

Logo, unidade real mesmo, só pode existir quando as substâncias envolvidas têm a mesma natureza.

Não é possível, no meu ponto de vista, haver unidade entre defensores da prosperidade, os vendedores de milagres, e o evangelho de Cristo, como o que foi vivido por Madre Teresa de Calcutá, por exemplo. Não é a mesma substância.

É possível haver unidade entre pessoas que, dentro ou fora das instituições, são discípulos de Jesus. Tais pessoas se reconhecem mutuamente, ou pelo menos, deveriam se reconhecer. E essa unidade existe, ainda que muitas vezes, de forma invisível, de uma forma que apenas Deus pode ver. Mas não acho que seja possível haver essa mesma unidade, entre quem tenta viver de acordo com o evangelho, e quem vive de acordo com “teologias” totalmente estranhas aos ensinamentos deixados por Jesus, apesar de usarem e citarem seu nome, de forma abundante.

É possível que haja discípulos sinceros, em instituições que pregam esse Jesus distorcido, que vendem milagres, prosperidade e outras coisas mais, como se vendem mercadorias numa feira? Sim. Mas não creio que conseguirão permanecer em tais locais, onde o que se prega não é o que tais pessoas vivem enquanto discípulos de Jesus. A experiência delas como discípulos, não bate com o que é pregado pela “teologia” de tais instituições. Ficar numa instituição como essa, com a esperança de corrigir os caminhos da mesma, já provou ser uma ilusão. Sair ferido de uma tentativa dessas, é o resultado óbvio.

Escrever frases de efeito usando o nome de Jesus em placas, outdoors e paredes de igreja, tem muito pouco a ver com seguir Jesus.

No próprio Novo Testamento, existe clara distinção entre a multidão, pela qual Jesus tinha compaixão, mas que também sabia que só o procurava por causa do pão que haviam comido e pelos milagres que presenciaram; e os discípulos, os quais eram ensinados em separado; e duvido muito que Jesus falava a eles, nessas “aulas particulares”, sobre prosperidade, sobre a vida vitoriosa e os bens materiais, roupas de luxo, altos salários, e moradias confortáveis que Deus daria a eles,  se fossem fiéis no dízimo e ofertassem com abundância; isso sem contar a hospedagem em hotéis de luxo que eles teriam, durante suas viagens missionárias. O que Pedro pensaria de Jesus, se, depois de ter ouvido falar em tais coisas [prosperidade, bens materiais em abundância, vida confortável, ser recebidos em hotéis de luxo, receber altos cachês, etc], o que se apresentou a ele, foi o suplício de morrer também numa cruz? No mínimo, ia chamar Jesus de mentiroso.

E justamente por não acreditar que tal unidade entre o verdadeiro evangelho de Jesus e essas “teologias estranhas” possa, ou deva ser buscada, é que não uso o espaço aqui do blog, exclusivamente para ficar criticando tais pessoas que vendem prosperidade e milagres; a não ser é claro, quando alguém confunde o que eles pregam, com o que está verdadeiramente escrito no evangelho, coisa que é comum acontecer entre não cristãos. Aí, é preciso sim esclarecer que uma coisa é uma coisa, e outra coisa, é outra coisa.

De forma alguma se trata de juízo de valor, onde quem não segue tais “teologias estranhas” é melhor, menos pecador ou mais salvo do que quem segue. Se trata apenas de separar a Verdade, das mentiras que se dizem em nome da Verdade. Pessoas que têm fé em Jesus e, ao mesmo tempo, acreditam em coisas como a teologia da prosperidade, apesar de estarem, no  meu ponto de vista, iludidas, são irmãos em Cristo também. Mas não se pode dizer o mesmo, de quem prega esse tipo de teologia, e vende ilusões para as pessoas, a respeito de uma vida que nada tem a ver com a vida real do cristão. Tais pregadores, sabem muito bem o que estão fazendo, e as pessoas são apenas meios de conseguir o que desejam: lucro. Nem devo viver em função de atacar esses vendilhões, porque sei que o único capaz de levá-los a corrigir o caminho errado por onde entraram, é Deus. Simplesmente deixo-os de lado, não dou atenção a eles, mesmo porque nem teríamos assunto, e eu não suportaria suas falas cheias de jargões e frases de efeito.

Quem experimentou a graça gratuita de Deus, não vai em seguida tratar de vendê-la ao vizinho, e auferir altos lucros, vendendo algo que recebeu gratuitamente. Graça vendida não é graça, é prestação de serviços; graça comprada não é graça, é suborno.

Eu particularmente, não tenho muito assunto a conversar, com pessoas que acreditam que cristão tem que ser rico, não pode ficar doente, não pode sofrer, não pode ter problemas e etc, e que acham que Deus é seu mordomo particular, e que podem exigir qualquer coisa dEle. Na maior parte das vezes, ouço calada, pois sei por experiência própria, que não adianta muito discutir com essas pessoas. Não suporto esse ufanismo [quando Jesus disse que quem quisesse ser o maior no Reino, devia ser o servo de todos, e não pretender ser servido por todos], e confesso que não tenho muita paciência com esse tipo de discurso, desconectado da realidade e dos ensinamentos de Jesus. Ouço calada e triste, e ainda tenho que controlar a ira que esses pregadores de ilusões, me causam.

Unidade? Difícil… não estamos falando da mesma coisa…

Anúncios

3 Responses to Unidade? Com quem?

  1. Diego disse:

    Acho que a prosperidade tem que fazer aprte de quem guarda os mandamentos de Deus pois está escrito em todo antigo testamento…
    ‘Guarda a ordenança do SENHOR teu Deus, para andares nos seus caminhos, para guardares os seus estatutos, seus mandamentos, seus juízos,
    e os seus testemunhos, como está escrito na lei de Moisés;
    para que prosperes em tudo
    quanto fizeres, e para onde
    quer que fores’
    1 Reis 2… e mais 500 promessas de prosperidade!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: