Carta aos igrejados

maio 12, 2010

Na verdade não chega a ser uma carta. Mas apenas umas poucas frases, em virtude de coisas que tenho lido por aí, supostamente ligando as pessoas que não frequentam instituições religiosas, e preferem viver uma fé simples e a comunhão simples com outras pessoas, a desejos de viver de forma desregrada, levar a vida do jeito que bem entendem, e outras acusações.

Para os defensores da igreja enquanto instituição (e que fazem isso por terem interesse na continuidade desse sistema institucional, porque são sustentados por ele), que dizem que a igreja como instituição foi criada por Jesus: o que é igreja? Pessoas de mesma fé em comunhão. Só isso. Pra que complicar, dizendo que isso inclui a instituição, o prédio construído de tal e qual forma, seus dogmas, seu cerimonial de culto, e etc? Isso não é verdade. O que Deus criou foi um corpo de pessoas em comunhão em nome de uma mesma fé, e não necessariamente uma instituição. Lugar de comunhão não é só o templo ou um prédio com placa de igreja na frente, embora haja muitas pessoas que não saberiam o que fazer se as paredes da igreja caíssem.

A igreja enquanto instituição tem seu papel? E então porque vemos tantas pessoas frequentando igrejas e templos, mas tão poucos cristãos? Ser cristão não é ser imitador de Jesus? Praticante do que ele ensinou? Crente tem aos montes, frequentador de igreja, milhares. Mas todos são seguidores de Jesus? Então nosso país pelo menos, devia ser um lugar bem melhor de se viver.

A insituição é o lugar onde a Palavra é pregada? Sim, é pregada, mas não necessariamente é cumprida e obedecida por quem ouve domingo após domingo, ano após ano. Em muitas instituições, ela não é obedecida nem por quem prega, quem dirá por quem ouve. Você finge que prega e finge que vive o que prega, e eu finjo que escuto e finjo que vivo o que ouço.

A principal característica da igreja de Cristo é o amor. Mas não necessariamente é a principal característica das instituições religiosas. Quantas e quantas pessoas adentraram essas instituições em busca desse amor que supostamente deveria existir ali dentro, e não encontraram?

A igreja de Cristo não são as instituições ou os prédios, mas um corpo de pessoas. Não necessariamente encontramos esse corpo de pessoas, prontas a expressar o amor de Cristo, dentro de instituições e prédios com nome de igreja. Portanto, dizer que a igreja de Cristo não pode existir sem as instituições, e que não fazer parte delas impede a pessoa de ser cristã, é uma inverdade.

Assim como acusar, sem fundamento, pessoas que optaram por não fazer parte de instituições, como se o fizessem apenas para poder permanecer pecando e vivendo como bem entendem, é outra inverdade. Pessoas vivendo como bem entendem, sem se preocupar com o próximo e dando péssimos testemunhos de vida, também são encontradas aos montes dentro das instituições, talvez em número bem maior dentro delas do que fora, e nem precisa procurar muito para enxergar isso.

Se você defende as instituições religiosas porque é pastor, ou tem um cargo qualquer e é sustentado pela instituição, está advogando, na verdade, em seu próprio interesse, e não no interesse da verdadeira igreja de Cristo.

Todos os “desigrejados” que conheci e conheço, são pessoas sinceras, com um único desejo: seguir Jesus, da melhor forma possível, com todo o coração. Pecadores? Sem dúvida, pecadores exatamente iguais aos que estão dentro das instituições religiosas. Mas nunca, pessoas que o fazem porque querem viver com bem entendem. Pode ser que haja pessoas assim, mas não entre os que eu conheço.

Portanto, melhorem a argumentação, quando forem tentar supostamente lançar dúvidas sobre a sinceridade e intenções daqueles que escolhem viver livres das instituições religiosas, dos seus conchavos, do seu fingimento, da sua burocracia, e em muitos casos, de um jugo pesado, bem diferente do de Cristo. Jesus não está preso dentro dos templos, e isso é um fato. Ainda não nasceu homem que seja capaz de enclausurar Jesus dentro de um templo qualquer, e obrigar as pessoas a entrar, se quiserem seguir Jesus. Jesus é o caminho, só. O templo, é um acessório, não obrigatório; muitas vezes, existe apenas por questão de comodidade.

Você não precisa concordar com a opção dessas pessoas desigrejadas, mas como elas são cristãs como você, discípulos de Jesus como quaisquer outros, você tem o dever de aceitá-las como seus irmãos em Cristo, exatamente como os membros e frequentadores da sua instituição. Se você não faz isso, o errado é você.

Não estou incentivando ninguém a abandonar suas instituições religiosas. Se você frequenta alguma, faz parte de uma e se sente bem, ótimo. Mas nem todas as pessoas pensam o mesmo. E tanto os desigrejados como os igrejados, deveriam se tratar como irmãos. Porque não é o prédio, não é a denominação, não é o templo que faz o cristão. É a fé.

Pensem nisso…