Atualização da guerra criação x evolução

por Chaplain Mike

Estive muito ocupado com coisas mais importantes, como trabalho, família, e compartilhando o sofrimento de amigos, para voltar a tratar desse assunto; mas, pessoal, temos que conversar.

Poucas semanas atrás, postei um vídeo (que não está mais disponível), produzido pelo BioLogos, com o Dr Bruce Waltke, um dos maiores especialistas em Antigo Testamento do mundo. Nesse vídeo, Waltke encorajou a igreja a permanecer engajada na discussão quando se tratar de ciência e particularmente quando o assunto for evolução.

Abaixo, está o comentário no blog do BioLogos, sobre o vídeo do Dr Waltke:

Neste vídeo, Bruce Waltke discute sobre o perigo que a igreja correr quando não está engajada no mundo ao seu redor, principalmente com relação à evolução, a qual muitos evangélicos ainda rejeitam.

Waltke alerta, “se os dados são esmagadores em favor da evolução, negar essa realidade fará de nós uma seita… um grupo qualquer que se recusa a interagir com o mundo. E com razão, porque não estamos usando nossos dons nem confiando na Providência Divina, que nos trouxe até esse ponto em nossa consciência.”

Estamos num momento único da história, onde  “tudo está se juntando”, diz Waltke, e o diálogo – como esse iniciado pelo BioLogos – são desdobramentos positivos.  “Vejo isso como parte do crescimento da igreja”, ele diz. “Estamos muito mais maduros para esse diálogo do que estávamos antes. É assim que chegaremos à unidade da fé – lutando com essas questões.”

Waltke sublinha que negar a realidade científica seria negar a verdade de Deus no mundo. Para nós, como cristãos, isso poderia servir para nossa morte espiritual, porque não estaríamos amando a Deus com toda a nossa mente.  Pode ser nossa morte espiritual em testemunhar ao mundo, porque não teríamos crédito algum.

Enquanto os cristãos podem ainda discordar entre si sobre algumas questões, Waltke enfatiza que estejamos interagindo de forma séria – e confiar em Deus como verdade. Testar essas coisas, mas se apegando ao que é bom, traria maior entendimento e unidade entre os cristãos.

Se não fizermos isso, adverte Waltke, vamos morrer. Se nos recusamos a nos engajar nesse grande diálogo cultural/científico, poderemos ficar à margem, o que seria uma grande tragédia para a igreja.

Aplaudo o Dr Waltke por suas sensíveis e corajosas palavras. A igreja não pode enterrar sua cabeça na areia. Não podemos simplesmente tampar os ouvidos e ficar choramingando, “Mentira! Mentira!” sempre que o conceito de evolução é discutido.

Se determinados grupos de cristãos duvidam que as evidências levam às mais universalmente aceitas conclusões da comunidade científica, sugiro que encorajemos os cristãos a seguir carreiras científicas, para ganhar credibilidade, praticando pesquisas honestas e responsáveis, fazer o trabalho duro de elaborar modelos alternativos, e defendê-los publicamente.

Infelizmente, não é isso que “criacionistas” fazem.

  • Criacionistas não usam o método científico para debater ciência, mas se limitam a julgamentos a priori. Começam pelas suas conclusões inteiramente formadas – baseadas na sua interpretação particular de Gênesis 1-11 – e então trabalham no sentido inverso, rejeitando qualquer evidência que contrarie suas conclusões.
  • Criacionistas olham as descobertas científicas que contradigam algum pequeno aspecto do modelo evolucionário, de forma superficial, e então declaram que todo o modelo deve ser falso.
  • Criacionistas usam o argumento do espantalho, dizendo que porque alguns ateístas radicais são evolucionistas, aceitar a teoria da evolução é a mesma coisa que aceitar as explicações naturalistas do universo e da vida.
  • Criacionistas usam táticas infames, culpando o modelo da evolução biológica como a raiz de todos os males em nossa cultura “secular”, desde o aborto, passando pela pornografia até a rebelião dos jovens e a destruição da família, e também passando pela união homossexual à eutanásia, chegando até as políticas de saúde pública do Presidente Obama.
  • Criacionistas são marketeiros. Eles não constroem museus para mostrar suas descobertas científicas ao mundo, atualizando suas coleções quando novas evidências são encontradas. Constroem centros de apologética do criacionismo. E não ciência. Apenas suas próprias e limitadas interpretações da Bíblia e viagens imaginárias sobre como teria sido o “no princípio.”
  • Criacionistas ignoram a complexa história da interpretação, quando se trata de crítica aos textos bíblicos como os primeiros capítulos do Gênesis. Para eles, existia apenas uma interpretação aceitável da narrativa da criação ao longo dos séculos, até que os geologistas começaram a sugerir que a Terra é muito mais antiga do que se pensava, levando à “teologia liberal” e a todos os males sociais resultantes.
  • Criacionistas ignoram a história dos seus próprios pontos de vista. Falham em entender, por exemplo, que a teoria de um dilúvio global que mudou a estrutura física da Terra, tem sua origem em “visões” da adventista Ellen G. White.
  • Criacionistas politizaram o assunto de uma forma que é praticamente impossível em muitos lugares, ter uma conversa civilizada e profunda sobre isso. Fizeram disso um jogo zerado. Não há espaço para debate. Se você não concorda conosco, você está contra nós.

O criacionismo se transformou na plataforma principal da guerra cultural dos cristãos conservadores. Como resultado, o assunto passou a ser mais do que um debate entre estudiosos da Bíblia que discordam em suas interpretações de Gênesis. Tornou-se uma “prova de fogo” para muitos, identificando quem é e quem não é um cristão verdadeiro.

Então, infelizmente, apesar do fato de que o ponto de vista de Bruce Waltke sobre o assunto tenha sido publicado em seus escritos por anos, o vídeo divulgado pelo BioLogos, foi provocativo demais na cultura do medo, que marca o ambiente do cristianismo na América.

Primeiro o Dr Waltke pediu que o vídeo fosse retirado da Internet.

Em seguida, emitiu um comunicado de esclarecimento dizendo que remover o vídeo foi decisão própria, tomada pelo desejo de não ferir a igreja causando desentendimento. Entretanto, está bem documentado que houve pressão para que ele fizesse isso, por parte dos líderes do seminário onde ele ensinava, Reformed Theological Seminary.

Pouco tempo depois, o Dr Waltke deixou o Reformed Theological Seminary.

Para seu crédito, no meio de tudo, Waltke assumiu toda a responsabilidade por suas palavras, e não culpou o seminário, desejando-lhes somente o bem.  Aqui está a carta que demonstra o espírito gracioso do Dr Waltke. Depois, ele se transferiu para o Knox Theological Seminary.

Em um artigo intitulado “The Video that Ended a Career,” no Inside Higher Ed, Scott Jaschik comenta:

Waltke é um nome tão influente na teologia evangélica que o incidente causou constrangimento considerável. Por um lado, sua defesa pública do ponto de vista de que aceitar a evolução e ser um homem de fé não são posições incompatíveis foi significante para aqueles que, como o BioLogos Foundation, defendem esse ponto de vista. As credenciais acadêmicas de Waltke na Teologia Cristã são muito fortes para ser dispensadas facilmente.

Mas o fato de que esse seminário dispensou-o é visto como um sinal de como é difícil para os estudiosos de algumas instituições, levantar assuntos que envolvam ciência e que não sejam 100 por cento consistentes om uma interpretação literal da Bíblia.

Obviamente, uma voz proeminente do criacionismo, Ken Ham do Answers in Genesis e do Creation Museum, fez seu comentário a respeito da situação. Na sua opinião, Waltke, o BioLogos e também o RTS (porque permitem certa liberalidade em sua interpretação de Gênesis) estão “comprometidos” com a religião pagã da nossa era, que mina a autoridade da Palavra de Deus.

Décadas à frente, quando a igreja evangélica na América acabar como aconteceu na Europa (especialmente na Inglaterra onde a cultura está agora quase morta espiritualmente), ela vai acordar para o que aconteceu. Porque os líderes da igreja desta era comprometeram a Palavra de Deus com a religião pagã (evolução e milhões de anos), minaram a autoridade da Palavra de Deus. Esperamos que a igreja olhe para trás, aos líderes da igreja comprometida (que devem responder por contribuir para que tantos jovens deixem a igreja e porque a estrutura da igreja está tão enfraquecida), e perceba que precisa ser intransigente com a interpretação da Palavra de Deus em Gênesis…

A evolução e a Terra de milhões de anos são realmente a religião pagã tentando explicar a vida sem Deus… Precisamos orar para que esses líderes se arrependam e retornem para a Palavra de Deus…

É claro, isso é um evidente absurdo.

O Reformed Theologica Seminary é parte de uma tradição reformada, que estuda teólogos dos primórdios, como Agostinho, que não acreditava num entendimento literal de Gênesis, mais de 1500 anos atrás.  Quando o assunto “evolução” começou a ser incluído pela igreja nos idos de 1800, importantes teólogos reformados evangélicos como Strong, Shedd e Warfield, não viram nenhum problema numa posição evolucionista teísta. Quem é Ken Ham?

Além disso, seria realmente difícil encontrar um estudioso mais cuidadoso, profundo e devotado à Palavra de Deus do que Bruce Waltke. Que um marketeiro como Ken Ham, que não é nem especialista bíblico nem cientista, tenha o desplante de chamar o Dr Waltke ao arrependimento, em assuntos de interpretação bíblica, é risível. O mesmo com relação à sua condenação aos estudiosos e cientistas do BioLogos.

Então, é assim que vai ser, igreja?

Não estou dizendo “Vamos ficar juntos” ou “vamos todos concordar” com uma determinada posição. Estou dizendo, vamos amar a Deus com toda a nossa inteligência, pessoal! Vamos aprender a conversar entre nós mesmos.  Vamos aprender a escolher batalhas que valham a pena, e lutar nessas batalhas com as armas dadas por Deus: humildade, amor, serviço. Vamos aprender a ser discípulos de Jesus no mundo real.

  • Primeiro, se você pensa que a ciência é um assunto importante para os cristãos e quer saber mais sobre esses assuntos, procure se instruir, faça um curso científico. Leia de forma ampla e profunda, seja humilde e paciente. Assuma a posição de aprendiz antes de começar a jorrar suas “convicções”. Aprenda a reconhecer investigações superficiais e tendenciosas, e se recuse a se deixar levar pela propaganda de qualquer dos lados. Mantenha suas posições com uma mente aberta até que esteja convencido, e mesmo assim, comprometa-se em ser um aprendiz o resto da sua vida. A descoberta científica está continuamente se reavaliando e mudando. Não deixa de crescer.
  • Segundo, com todos os recursos disponíveis atualmente, não há desculpa para ninguém ser ignorante sobre a Bíblia, sobre como estudá-la, a história sobre sua interpretação, e as várias formas pelas quais suas passagens podem ser entendidas. Não se deixe levar caso alguém diga que existe apenas uma forma de interpretar fielmente uma passagem como Gênesis 1. Pense e estude por si mesmo, e ouça as vozes daqueles que lutam com o assunto a mais tempo que você. Se é importante para você “tomar uma posição” sobre um assunto, é importante que se dedique a estudar seriamente tudo a respeito desse assunto. Isso significa ler e ouvir opiniões com as quais você pode não concordar. Implica em ser capaz de falar com outras pessoas, sem ficar na defensiva e lhes chamar por nomes feios e palavrões.

Estou farto dessa vertente de guerra cultural do Cristianismo. Vamos crescer.

Update on the Creation Wars – Chaplan Mike – Internet Monk

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: