A bíblia não pode responder perguntas científicas

por C. Drew Smith

Por mais de um século têm ocorrido debates sobre a habilidade da bíblia nos falar a respeito do mundo, particularmente sobre o mundo natural, e sobre como os seres que habitam esse mundo natural vieram a existir. Estes debates tem dado continuidade aos argumentos entre ciência e bíblia que começaram com a revolução científica no século XVII, quando Galileu desafiou a leitura literal da bíblia mostrando que o sol, e não a terra, estava no centro do universo, e que o universo funciona de acordo com leis matemáticas. Entretanto, em nossa cultura politicamente engajada, o conflito entre a bíblia e a ciência anda mais aquecido do que nunca.

A questão, pelo que vejo, parece ser mesmo sobre se a bíblia pode responder as perguntas da ciência, e se a ciência pode realmente provar a bíblia. Obviamente, o centro do conflito atual é o  debate entre a teoria científica da evolução e a crença religiosa da criação. O desafio da ciência à fé se tornou tão ameaçador que levou alguns a escolher uma leitura literal de Gênesis 1 e 2, na forma de uma pseudo-ciência conhecida como teoria do Design Inteligente;  mas praticamente esta teoria é apenas uma forma renovada de criacionismo. O problema com esse ponto de vista, está na nossa incompreensão dos primeiros capítulos do Gênesis como base para provar a idéia de que o mundo natural foi literalmente criado do nada em sete dias.

Admito, não sou um cientista, então não posso falar sobre teorias científicas com muita autoridade, e certamente não é este o objetivo desse artigo. Entretanto, como um investigador bíblico, historiador e teólogo, posso dizer o que penso ser o problema dos pontos de vista interpretativo e teológico.

Primeiro de tudo, devemos entender que as narrativas de Gênesis foram escritas por humanos antigos, os quais, sem acesso à ciência moderna, tentaram explicar seu mundo e as origens do mundo natural  de um ponto de vista religioso. Gênesis, então, é a história hebraica do início e origens do mundo e da humanidade, como eles entendiam de um ponto de vista teológico, porém não científico. Assim como outros povos da antiguidade, os Hebreus justificaram sua religião e sua visão de mundo por meio da sua história da criação, detalhada, sobre como o mundo surgiu por um ato de Deus.

No caso dos Hebreus, a narrativa de Gênesis foi uma tentativa de definir o Deus no qual acreditavam como o único Deus do universo, o qual é transcendente, e o qual, em sua infinita sabedoria e poder, criou o mundo físico, incluindo a humanidade, que foi representada de forma literária pelos personagens Adão e Eva. Assim, os primeiros capítulos do Gênesis são narrativas teológicas que expressam como os Hebreu viam o seu Deus como supremo, acima de outros deuses, um tema que continua a ser tratado em toda a bíblia hebraica. Mas as narrativas de Gênesis não são cálculos científicos ou explanações sobre fenômenos naturais, e não podem suportar esse tipo de interpretação literal. Fazer isso é perder o foco.

Será que esse ponto de vista dissipa qualquer noção de Deus? A resposta a essa pergunta é simplesmente não. Apesar de considerar a evolução como a resposta para as origens do mundo natural, não descartar a idéia de um ser divino, a ciência não pode nem provar nem refutar a existência de Deus. Por outro lado, nem a bíblia pode provar que Deus existe. A bíblia pode somente descrever como os antigos Judeus e Cristãos entendiam Deus. A crença em Deus vem somente através da fé.

A evolução é uma ameaça à autoridade da bíblia? A resposta é, de novo, não. A bíblia é literatura teológica, escrita por pessoas da antiguidade, que escreveram a partir da perspectiva de sua fé religiosa e de como eles entendiam o mundo, a humanidade e a divindade. A estória da criação em Gênesis é uma explanação teológica do mundo a partir de uma perspectiva monoteísta hebraica, e não uma explicação científica.

O que isso significa para pessoas de fé, vivendo em um mundo de conhecimento científico? Significa que não devemos abordar a bíblia como um documento científico; as escrituras não podem responder nossas perguntas científicas. Pelo contrário, devemos ver a bíblia como um texto religioso que molda nossa maneira de viver no mundo, e devemos interpretá-la teologicamente, investigando o que ela diz a respeito de Deus como realidade última, e como podemos viver sendo imagem de Deus em nosso mundo.

The Bible cannot answer scientific questions – Wilderness Preacher

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: