A ciência na Bíblia

Sou cristão, teólogo e biólogo evolucionista. Dito de outra forma, amo Jesus e aceito a evolução. Evidentemente, esse tipo de declaração não costuma ser ouvida nas nossas igrejas. Mas se me permitem usar um único argumento para explicar meu ponto de vista, é este: a Bíblia não é um livro de ciências, mas um livro para encontrar Deus.

De fato, a escritura apresenta uma antiga visão sobre a estrutura, operação e origem do universo e da vida. O desenho (ver no original no link ao final do texto) apresenta o mundo como era concebido pelos antigos povos do Oriente Próximo, incluindo os Hebreus. Pode ser uma surpresa para muitos leitores cristãos da Bíblia, mas um universo constituído por três níveis é encontrado na mesma. Algumas dessas antigas concepções sobre o mundo natural incluem:

(1) A terra é plana. A palavra “Terra” aparece mais de 2.500 vezes no Antigo Testamento (em hebraico: ‘eres) e 250 vezes no Novo Testamento (grego: ge). Em nenhuma das vezes a Terra é denominada como sendo esférica ou redonda. Em vez disso, o universo da Escritura é comparado a uma tenda com a terra como seu piso (Salmos 19:4, Salmos 104:2, Isaías 40:22).

(2) O mar cerca a circunferência da Terra. Provérbios 8:22-31 e Jó 26:7-14, descrevem a criação do mundo.  No início, “Deus inscreveu um círculo sobre a face do abismo” (v.27); e depois, “Deus inscreveu um círculo na superfície das águas” (v.10). A Bíblia também afirma que a Terra é circular. Isaías escreveu, “Deus está assentado sobre o círculo da Terra, e seu povo é para ele como gafanhotos. Ele estende o céu como cortina, e o desenrola como tenda para nela habitar. ” (Isaías 40:22)

(3) A Terra não se move. A Bíblia lembra três vezes que “o mundo está firmemente estabelecido, não pode se mover” ( 1 Crônicas 16:30; Salmos 93:1; Salmos 96:10). A estabilidade da Terra é entendida como semelhante a de um edifício sobre fundações sólidas. Os escritores da Bíblia frequentemente se referem a esta base sólida como “as fundações da Terra” (Jó 38:4-6; Provérbios 8:29; Jeremias 31:37). Por exemplo, “Deus assentou a Terra sobre suas fundações, para que ela não pudesse ser abalada em tempo algum (Salmos 104:5).

(4) Uma estrutura sólida em forma de abóbada, denominada o “firmamento”, sustenta uma grande massa de água sobre a Terra. Criado no segundo dia da criação, o firmamento separou as “águas acima” das “águas abaixo” (Gênesis 1:6-8). Notavelmente, esta abóbada e a massa de água não desmoronaram durante o dilúvio. Como os salmos de Davi revelam, “Os céus declaram a glória de Deus e o firmamento proclama o trabalho de Suas mãos (Salmos  19:1); e Deus estende os céus como uma tenda e coloca os vigamentos da Tua morada sobre as águas ” (Salmos 104:2-3).

(5) O sol se move através do céu. Criado e colocado no firmamento no quarto dia da criação (Gênesis 1:14-18), o movimento diário do sol é encontrado na observação do rei Salomão: “O sol se levanta e o sol se põe, e corre de  novo para o lugar de onde saiu” (Eclesiastes 1:5). Isso também aparece numa frase da oração do salmista: “O sol sai de uma extremidade dos céus e faz o seu caminho até a outra.” (Salmos 19:6)

Obviamente, muitos cristãos são rápidos para assinalar que todas as passagens citadas acima, são apenas como “aparecem” na natureza. Isto é, são descrições fenomenológicas (do grego phainomenon: aparência). A Terra “aparenta” ser plana, “parece” ser cercada por água, e não se sente o seu movimento; o céu dá a “impressão” de ser uma massa de água acima de nós; e o sol “aparece” para cruzar a abóbada celeste, aparecendo e desaparecendo todos os dias. Entretanto, para os povos da antiguidade, como os autores da Bíblia e seus leitores, essas são descrições atuais da estrutura e operação do universo. Como a história revela, a noção de que a Terra não se move, e de que  o Sol se move diariamente através do céu, eram parte da astronomia até o início dos anos 1600.  De fato, esse foi o motivo da controvérsia de Galileu.

Assim, qual o ponto central? Não vá à Bíblia em busca de fatos científicos; vá a ela para encontrar Jesus. Da mesma forma como Ele pessoalmente encontra cada um de nós onde nós estamos, o espírito santo se adaptou ao nível de entendimento dos escritores bíblicos antigos, e usou a compreensão que eles possuíam sobre o mundo físico, para comunicar de forma mais eficiente possível, verdades espirituais capazes de mudar vidas.  Usando a antiga ciência na Bíblia, Deus revelou de forma inerrante a mensagem de que Ele criou o mundo, mas não como Ele o criou.

Para ler mais sobre a ciência antiga na Bíblia, veja:
Denis O. Lamoureux’s I Love Jesus & I Accept Evolution (2009), páginas 43-70, e seu website: www.ualberta.ca/~dlamoure

Fonte: The ancient science in the Bible – Denis O. Lamoureux

Anúncios

2 Responses to A ciência na Bíblia

  1. Alzira Nunes de Almeida​ disse:

    Estou amando ler esta sabedoria de Adonai que nos é escondida. Obrigada, por confirmar o que já estava implantado em meu coração por meio do estudo dá Palavra de D’us.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: