Onde está sua base?

kamikaze1Nessa época do ano, o número de pessoas que comete suicídio no Japão, aumenta muito. Suicídios por lá são algo corriqueiro; só no ano passado, foram quase 32 mil casos. Em 2007, foram mais de 33 mil. Nessa estatística, incluem-se pessoas de todas as idades. Jovens, adultos  e idosos.

“Somente em janeiro deste ano, segundo dados divulgados pela Agência Nacional de Polícia, foram registrados 2.645 suicídios. Isto representa um aumento de 15% em relação ao mesmo mês do ano passado, quando foram notificados 2.305 casos.

A média nacional é de um suicídio a cada 20 minutos. Nas piores épocas, o tempo entre uma morte e outra cai para até 15 minutos. De acordo com a Organização Mundial da Saúde, entre os países ricos o Japão está em segundo no ranking de suicídios, atrás da Rússia. Lá, a média de suicídios é de 40 a cada 100 mil pessoas. No Japão a média é de 24 e, no Brasil, cinco.

A província de Yamanashi é a campeã entre os lugares onde ocorrem suicídios no Japão. Em 2008, a média foi de 40,8 a cada 100 mil pessoas. A explicação é a existência da floresta Aokigahara, também conhecida como “floresta dos suicidas”, considerada o segundo lugar mais famoso do mundo para se matar – atrás somente da Ponte Golden Gate, em São Francisco, nos Estados Unidos.”

http://ultimosegundo.ig.com.br/bbc/2009/03/25/suicidios+aumentam+no+japao+e+preocupam+governo+5044956.html

Um suicídio a cada 20 minutos. O que leva um país a ter uma “tradição” de suicidas? Na cultura japonesa, perder a vida é mais honroso do que perder o status social. Na sociedade japonesa, um homem que não consegue mais manter sua família, se sente tão desonrado, que optar pelo suicídio é visto por ele como mais honroso do que viver. Lembra-se dos kamikazes, os pilotos suicidas japoneses que se atiravam junto com seus aviões? Era uma honra muito maior para eles, perder a vida do que continuar vivo e conviver com uma derrota na guerra.

E, nessa época do ano, quando, segundo a reportagem, saem os resultados dos vestibulares, e muitas empresas definem suas contratações, centenas de pessoas que não passam no vestibular das universidades mais conceituadas do país, ou não conseguem trabalho, acham mais honroso desistir de viver.

Não existe proibição religiosa contra suicídio no Japão, onde a prática já foi uma forma de fuga ou de salvar entes queridos de vergonha ou perdas financeiras.”

http://info.abril.com.br/aberto/infonews/102007/11102007-3.shl

Não. Não basta uma proibição religiosa para evitar que as pessoas se suicidem, elas o fariam apesar da proibição.

No Japão vive-se em permanente competição. A pressão em cima das pessoas é imensa. E acaba-se vivendo em função de se obter status social, em grande parte representado pela atividade profissional, estudar em uma universidade conceituada, ter um bom emprego e mantê-lo. Quando entra em cena uma crise, o suicídio é visto por muitos como a única saída, a única saída honrosa para a vergonha de se sentir um fracassado.

É o que acontece quando as pessoas embasam totalmente suas vidas em coisas que podem ser facilmente perdidas, ou que podem simplesmente acabar, desaparecer, mudar de uma hora para a outra. Um emprego, um relacionamento, filhos, bens materiais, dinheiro, ou até mesmo a própria honra, o orgulho pessoal, uma posição social.

Qual é a sua base? Qual é a base sobre a qual você constrói a sua vida? Se você perder essa base, o que vai fazer? Cometer suicídio? Enlouquecer?

Se a sua base for Deus, você pode perder muitas coisas, pode descobrir que muitas dessas coisas que você valorizava tanto, na verdade apodrecem, enferrujam, estão sujeitas a perder o valor, a ser roubadas, destruídas, ou simplesmente desaparecer.  Mas tendo uma fundação eterna e inabalável, tudo pode ser reconstruído. Não é preciso bancar o herói suicida, o mártir, não é preciso ser um kamikaze ou um samurai. A única coisa necessária é confiar nEle e construir sobre a base certa.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: