Católicos e a Bíblia

Quando Lutero começou a traduzir a Bíblia para o alemão, o clero católico entrou em polvorosa. Um grupo de prelados escreveu um relatório ao Papa, no ano de 1553, onde constava o seguinte trecho:

“É preciso fazer todos os esforços possíveis para que a leitura do Evangelho seja permitida o mínimo possível… O pouco que se lê na missa já basta, que ler mais do que aquilo não seja permitido a quem quer que seja. Enquanto os homens se contentaram com aquele pouco, os interesses de Vossa Santidade prosperaram, mas quando se quis ler mais, começaram a ficar prejudicados.
Em suma, aquele livro [o Evangelho] foi o que, mais que qualquer outro, suscitou contra nós aqueles turbilhões e tempestades em que por pouco não nos perdemos inteiramente.
E se alguém o examinar inteira e cuidadosamente e depois comparar as instruções da Bíblia com o que se faz nas nossas igrejas, perceberá logo as divergências e verá que nossa doutrina muitas vezes é diferente e, mais ainda, contrária ao texto: o que quer que o povo entendesse, não pararia de reclamar de nós até que tudo fosse divulgado, e então nos tornaríamos objeto de desprezo e de ódio de todo o mundo.
Por isso, é preciso tirar a Bíblia da vista do povo, mas com grande cautela, para não dar ensejo a tumultos.”

Até hoje os católicos não são incentivados a consultar a Bíblia, e a ignorância deles a respeito ficou patente numa pesquisa que se fez em vários países. A pesquisa concluiu que os católicos não conseguem responder perguntas básicas sobre a Bíblia. D. Vincenzo Paglia, presidente da Federação Bíblica Católica, que encomendou a pesquisa, realizada em nove países (EUA, Reino Unido, Holanda, Alemanha, Espanha, França, Itália, Polónia e Rússia) com 13 mil católicos entrevistados, disse em conferência de imprensa que “o texto bíblico continua a ser desconhecido, em larga medida, e pouco assimilado nos seus conteúdos específicos”. Muitos não souberam responder ou responderam erradamente que Paulo e Pedro escreveram algum dos quatro evangelhos. Alguns ficaram em dúvida quanto a Jesus ter ajudado a escrever a Bíblia, e outros não souberam responder, dentre Moisés e Paulo, qual dos dois aparecia no Antigo Testamento…

Será que esse resultado foi tão surpreendente assim para a igreja católica? Durante a inquisição, até exemplares da Bíblia em outras línguas que não fosse o latim (que o povão não entendia), foram parar nas fogueiras… a igreja católica queimou Bíblias… a Bíblia em outras línguas foi parar no Index de livros proibidos pela igreja… hoje, se um não crente queima uma Bíblia como forma de protesto, logo é taxado de anticristão.

One Response to Católicos e a Bíblia

  1. leandrocn disse:

    http://leandrocoutocn.wordpress.com/2010/06/01/niilismo-o-grande-mal-da-atualidade/

    A verdadeira causa dos males do homem de hoje são justamente estes disfarces niilistas dos valores supremos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: